Com a decisão da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) em retirar do juiz Sérgio Moro as investigações sobre Sarney, caberá ao relator da Lava Jato no Supremo, ministro Edson Fachin, investigar a denúncia contra o ex-senador por ter recebido R$ 18,5 milhões.
Nas gravações feitas pelo ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, Sarney é apontado como beneficiário do esquema fraudulento na estatal. Segundo o delator, Sarney recebeu R$ 16 milhões em dinheiro vivo proveniente da Transpetro.
Há menos de um mês, o ministro Fachin aceitou denúncia da procuradoria Geral da República (PGR) e Sarney virou réu em processo também no STF. Ele é acusado de atrapalhar as investigações da Lava Jato junto com os senadores Romero Juca e Renan Calheiros.
Aquilo que em princípio foi comemorado pela banca de advogados de Sarney – o direito a ser investigado pelo STF – pode deixá-lo ainda mais próximo de novas derrotas a depender da velocidade imprimida pelo relator Fachin nos processos da Lava Jato no STF. É esperar pra ver.