A pré-candidata ao governo do Maranhão, Maura Jorge (PODE), jogou uma pá de cal no boato de que ela poderia abdicar da candidatura em prol de suposta união da oposição em torno do nome do deputado estadual Eduardo Braide (PMN).
“O nosso projeto é de governo. Braide, assim como outros, seria um bom nome para vice. Deixa o Maranhão decidir!”, declarou ao ATUAL7.
Há uma semana, o boato já havia sido rechaçado, também em declaração ao ATUAL7, pelo deputado federal Aluísio Mendes, principal líder do Podemos na Câmara Federal.
“Sem chance! Maura Jorge é candidata a governadora! Além do mais, está a frente nas pesquisas e tem o nome consolidado no interior e na capital. Quem sugere essa chapa Braide/Maura não entende de política”, declarou o parlamentar.
A possibilidade de formação de uma chapa majoritária em torno de Braide foi criada por setores da imprensa que almejam a candidatura do deputado ao governo estadual, mesmo ele reafirmando que disputará a Câmara Federal em 2018. Pelo desejo desses setores, a chapa oposicionista seria formada por Eduardo Braide para governador, Maura Jorge para vice, e Roseana Sarney (PMDB) e Sebastião Madeira (PSDB) para o Senado Federal.
Contudo, além das declarações de Aluísio Mendes e Maura Jorge, a confirmação de condenação do ex-prefeito de Imperatriz por improbidade administrativa apontam para a inviabilidade de formação da aliança nessa condição. Agora oficialmente ficha suja, o tucano não pode mais disputar qualquer eleição pelos próximos cinco anos.
No mesmo sentido, pesa ainda contra essa cogitação de aliança em torno do nome de Braide o fato de que o próprio Madeira, inclusive, assim que teve a confirmação de sua condenação e inelegibilidade, tratou de dar declarações à imprensa de que o PSDB, na sua avaliação, deve ter como candidato ao governo o senador Roberto Rocha.